pdr2020.jpg

PDR2020-8.1.4-FEADER-019192

O presente projecto de investimento pretende rearborizar para poder voltar a restabelecer o potencial de produção silvícola da exploração florestal severamente atingida pelo incêndio florestal ocorrido no ano de 2012 na Serra do Caldeirão. Os incêndios florestais, apesar de se considerarem uma ocorrência característica do ecossistema mediterrânico, provocam sempre efeitos negativos no normal desenvolvimento dos povoamentos florestais. A ocorrência de incêndios provoca graves alterações ambientais e paisagísticas, afectando a estrutura sócio-económica de uma região. Esta perturbação física no território provoca a redução significativa ou mesmo a eliminação de comunidades vegetais e faunísticas e altera também as características do solo. A propriedade onde irá decorrer o projecto apresentava uma estrutura ordenada com uma ocupação do solo predominantemente florestal sendo o Sobreiro e o Pinheiro Alepo as suas espécies florestais principais, vegetando também em sub-coberto o medronheiro. Na zona sul da propriedade é possível ver ainda a existência de exemplares de alfarrobeira, típico das zonas mais baixas e de transição. Apesar de uma das principais características ecológicas das espécies autóctones destes ecossistemas mediterrânicos ser a sua forte capacidade regenerativa pós incêndio, verifica-se neste caso que esta capacidade da evolução natural e da consequente adaptação das espécies vegetais à passagem dos incêndios, não se observa com tanta firmeza. Verifica-se alguns exemplares a regenerar a partir do sistema radicular não afectado e até mesmo do banco de sementes, mas a sua densidade é muito baixa o que não garante a continuidade como povoamento. Genericamente, as acções preconizadas visam promover o reaparecimento do ecossistema destruído pelo incêndio, reconvertendo e /ou reabilitando as áreas em zonas produtivas respeitando as características do mesmo. A remoção do material ardido sem valor comercial por questões de fitossanidade, o controlo da vegetação espontânea, a instalação de espécies florestais através do aproveitamento da regeneração natural e de plantação e o melhoramento das condições estruturais do solo e sua fertilidade são as acções prioritárias para o iniciar a reabilitação destes locais classificados. Uma das condicionantes deste projecto é a de preservação de toda a regeneração natural viável quer do Sobreiro quer do Medronheiro. Desta forma, um dos primeiros trabalhos que requer maiores cuidados é a procura e sinalização de todas as plantas capazes de serem preservadas de forma a que se possa vir a ter uma floresta produtiva a médio/longo prazo com características mediterrânicas e ecologicamente adaptada às condições locais. Embora o Pinheiro Alepo seja uma espécie sem qualquer valor económico, iremos manter muitos dos exemplares, já que, estes irão fornecer “acolhimento” sombra e protecção nos primeiros anos de vida das plantas novas.

feader_leader.png